Minha estória com a compulsão alimentar e com a "Terapia de Emagrecimento através do Autoconhecimento"

Me percebi com compulsão alimentar aos dezoito anos. Eu tinha saído da casa dos meus pais e mudado de cidade para cursar biologia na Unicamp, a faculdade dos meus sonhos de adolescência. Foi então que algumas questões emocionais que estavam camufladas, vieram à tona. Passei a morar em república com colegas de faculdade e tive dificuldades com isso por motivos relacionados ao meu jeito de ser. Hoje sei que sou uma líder nata, que tenho facilidade para gerenciar e conduzir pessoas. Mas, na época, essa minha qualidade, que me ajuda muito profissionalmente nos atendimentos individuais e, principalmente, em grupo, era mal aproveitada e eu era apenas a “mandona chata” da república, aquela que tinha mania de limpeza e não deixava ninguém à vontade. Resultado: brigas e desentendimentos. Eu dei um jeito nisso indo morar com meu namorado, que gostava muito de mim, mas por quem eu nutria mais carinho como amiga do que qualquer outra coisa. Eu não conhecia o amor e me perguntava se ele não existiria apenas em filmes. Com isso moramos juntos, como casados, por nove anos. Esse relacionamento, além do curso que eu fazia, que no primeiro ano já descobri que não tinha nada a ver comigo, me entristeciam. Muita coisa estava ruim em minha vida, mas eu não sabia como mudar. O fato é que eu não gostava de mim, não achava que merecia namorar ou viver com quem fizesse meu coração vibrar mais intensamente, não sabia qual curso fazer ou qual profissão seguir. Eu não me conhecia e não acreditava em mim.

Hoje sei que meu estado emocional gerou a compulsão alimentar que me fez sofrer muito durante quase dez anos. Nos primeiros anos, creio que por ser bastante ativa e por ainda conseguir controlar um pouco os impulsos de comer loucamente, o ganho de peso foi pequeno, mas nos útimos dois anos, cheguei a engordar vinte quilos. Eu tentava fazer dietas, mas não conseguia. Elas começavam às segundas e terminavam às terças. Eu sabia que a compulsão estava aliada a questões emocionais mal resolvidas, então tentei terapia com psicólogos e inclusive psiquiatras. Cheguei a tomar antidepressivos (por curtíssimo período, pois algo em mim dizia que eles eram apenas paliativos e não resolveriam as bases dos meus problemas). Procurei ajuda em religiões, no espiritismo, fiz curso para desenvolvimento de mediunidade, fiz de um tudo e mais um pouco. Nada me ajudava ou sequer aliviava a dor psicológica e a compulsão.  De tanto insistir conheci alguns trabalhos relacionados à metafísica e ao autoconhecimento num âmbito mais espiritualista (sem nenhum vínculo ou tendência religiosa) e comecei a aprender algumas coisas sobre mim e sobre a vida. Assim fui melhorando e, sem perceber, fui desenvolvendo um método todo meu de me curar. De repente me vi feliz e emagrecendo sem qualquer tipo de esforço. Eu modifiquei naturalmente minha alimentação (o que anos mais tarde começou a ser chamado de Reeducação Alimentar), comia tudo o que sentia vontade, mas não tinha mais a necessidade de comer em excesso. Em poucos meses, poucos mesmo, eu emagreci os vinte quilos, passando de setenta e dois quilos para cinquenta e dois, que era o meu peso antes da compulsão e permanece até hoje, quase vinte anos depois.

Sei que nunca mais vou engordar ou desenvolver compulsão alimentar de novo porque eu aprendi a ser verdadeiramente feliz. No entanto, é comum ouvirmos que os transtornos alimentares só podem ser controlados e não curados. Pode ser que eles fiquem adormecidos, mas o fato é que, quando você consegue se manter feliz e realizada de forma natural, nunca mais eles voltam a ser despertados.

Ensinar o que eu tinha aprendido ocorreu de forma natural quando pessoas próximas perceberam a mudança em meu estado de espírito e o emagrecimento rápido e sem esforço. Uma amiga, dona de imobiliária, me convidou a ensinar o que eu tinha aprendido e formamos um grupo no escritório da imobiliária dela. Eram cinco mulheres e três emagreceram sem nenhum esforço, apenas com um trabalho profundo de autoconhecimento ao longo de meses. Isso era feito com grande prazer por parte delas, pois estavam tendo a oportunidade de aprender a conduzir suas vidas de forma muito mais verdadeira e prazerosa. O emagrecimento veio, na verdade, como uma espécie de bônus no meio de toda uma vida reformulada para melhor. Exatamente como tinha acontecido comigo! Uma dedas voltou a engordar, pois apesar dos conhecimentos e percepções que adquiriu, voltou a não se respeitar e a se desvalorizar. É preciso firmeza e manutenção de alguns exercícios emocionais diários durante um bom tempo, para que eles se automatizem em novos comportamentos.

Essa experiência de sucesso com esse grupo me despertou a vontade de me tornar terapeuta e poder ajudar muito mais pessoas. Desde então, posso dizer sem medo de errar, toda minha vida é  canalizada para o meu trabalho. Não sou, contudo, uma workhaolic. O que ocorre é que tudo o que acontece em minha vida, tanto nos meus momentos profissionais quanto pessoais, serve como estudo e aprofundamento para meu trabalho.

Hoje tenho quase vintes anos de profissão e já ajudei muitas pessoas a emagrecer de forma saudável, sem sacrifícios ou dietas. Grande parte delas nunca mais se preocupou com o peso ou voltou a engordar. Algumas voltaram a engordar e retornaram às sessões comigo, porque sentiam que ainda tinham coisas a aprender e aperfeiçoar. E a maior parte, enfim, emagreceu ou está em processo.

Costumo dizer aos meus clientes que ainda não começaram a emagrecer ou que estão no meio do processo: “ Um dia você vai olhar para o seu passado compulsivo, ou com qualquer outro transtorno alimentar, e vai sentir-se leve em relação a ele. E o principal, vai agradecer conscientemente que tudo o que você passou foi a forma que a vida encontrou de te dizer que você precisava olhar mais para si, com um olhar mais atento e disposto no sentido de querer descobrir-se e com a coragem de assumir-se e permanecer do seu lado.

“A compulsão alimentar surge do vazio que é gerado dentro de nós pela falta de nós mesmos ali.

O vazio denota tristeza, por vezes até depressão.

Numa tentativa em vão de preencher o vazio, nós comemos de forma descompensada. Os compulsivos por álcool, bebem exageradamente, os workaholics trabalham dia e noite...

Mas se você ainda achar que é uma dieta que vai te ajudar a emagrecer, coloque mais de você no cardápio, sem preocupação com quantas calorias você tem (não se preocupe se você é bom ou ruim, se está certo ou errado, apenas viva).

À medida que você for se alimentando mais e mais de você, os quilos irão naturalmente, e para sempre, desaparecer.”

Cristiane Lucchetti – psicoterapeuta metafísica

 

 

A reeducação alimentar deve começar com a reeducação emocional.

Para emagrecer e, principalmente, para manter o peso, precisamos alimentar o corpo com bons alimentos e a mente com boas emoções.

Trabalhando suas emoções juntamente com a reeducação alimentar, você conseguirá eliminar as causas da compulsão alimentar, que é a responsável pelo ganho de peso, pela dificuldade de emagrecer, por você precisar ficar sempre se segurando para não comer aquilo que tem vontade e pelo efeito sanfona, que atinge quase todas as pessoas que emagrecem através de dietas.

A definição de dieta no contexto do emagrecimento é “um regime metódico na alimentação”. Agir de forma metódica, ou seja, ordenada, pode nos trazer grandes benefícios, mas o ideal é que esse método flua, que não seja um sacrifício em nossas vidas, caso contrário não veremos a hora de “fugir” do método. É essa necessidade de fuga que impede o emagrecimento ou faz com que, após o final da dieta, se engorde mais do que emagreceu.

O melhor mesmo é emagrecermos sem sentirmos que estamos fazendo uma dieta imposta. Podemos deixar agradável a nossa reeducação alimentar e assim estabelecer uma dieta natural e saudável, que garantirá para sempre um peso compatível com nosso biotipo.

Para isso é necessário identificar e resolver nossas emoções negativas, como ansiedade, tristeza, preocupações, ócio e medo. São elas que geram o impulso de comer de forma desordenada.

O autoconhecimento é a forma mais eficaz para trabalhar e transformar as emoções negativas.

 

Terapia online

Faça terapia de casa, do trabalho ou de qualquer ambiente onde você possa estar em privacidade.

Desde 2006 contabilizamos as diversas vantagens da terapia on line:

Economia de tempo e custos

Estímulo da desinibição para pessoas com dificuldade de concentração

Conforto

Acessibilidade

Privacidade

Entre em contato e obtenha mais informações.

 

 

Dificuldade para emagrecer?

Você deseja emagrecer mas não consegue fechar a boca, percebe que continua comendo quando todos já pararam, pensa sempre em comida, belisca o dia inteiro ou ataca a geladeira na calada da noite?

Se você se vê com qualquer uma dessas dificuldades, você sofre de compulsão alimentar, que afeta praticamente todas as pessoas que querem emagrecer. 

A causa da compulsão alimentar pode ser stress, ansiedade, dificuldade de relacionamentos ou de lidar com os problemas. 

A terapia de "Emagrecimento pelo autoconhecimento" foca na identificação e tratamento dos problemas emocionais da compulsão alimentar.

Contato

Núcleo de Metafísica São Paulo - SP Zona Sul
Av. Senador Casimiro da Rocha
Vila Mariana
próximo ao Metrô Praça da Árvore

São Paulo - SP Zona Leste
Rua João Gomes Ribeiro
Tatuapé
próximo ao Metrô Carrão

Campinas - SP
Av. Machado de Assis - Taquaral
(11) 2509-2600
(19) 99224-0023 (claro ou whatsapp)
atendimento@nucleometafisica.com.br